EBD | Classe Juvenis -Lição 2- O Fundamento da Igreja

 

Fonte: SubsídiosDominical

LEITURA BÍBLICA DA SEMANA

Seg. Mt 16.18: Cristo é o fundamento da igreja

Ter. At 4.11: A pedra rejeitada pelos construtores

Qua. 1Co 12.12-27: Cristo, a cabeça da Igreja

Qui. At 2.4: A ação do Espírito Santo sobre a igreja

Sex. Gl 3.13,14,29: Um nova aliança

Sáb. 1Co 15.19: A esperança da volta de Cristo

OBJETIVOS

– Apresentar a Cristo como o fundamento da Igreja;

– Discutir a ação do Espírito Santo sobre a igreja e o seu papel na fundação dela;

– Refletir sobre a fundação da Igreja e a promessa da volta do Senhor.

REFLEXÃO

“Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina.” (At 4.11)

SINTETIZANDO

A Igreja foi fundada por Jesus Cristo, Portanto, Ele é a Rocha na qual ela está fundamentada. A subsistência da igreja neste mundo durante séculos se dá pela ação do Espírito Santo que mobiliza os crentes, concedendo-lhes poder para testemunhar e resistir às investidas satânicas, A esperança da volta de Cristo serve como a base da fé cristã.

INTRODUÇÃO

A Igreja de Cristo estava, nos planos de Deus antes da fundação do mundo (Ef 1.4). Os profetas, a exemplo de Isaías, vaticinaram que a Casa de Deus – a Igreja – seria iniciada em Jerusalém (Is 2.2-4; 28.16).

De acordo com o propósito eterno”, as profecias foram   cumpridas com precisão quando Cristo, cumprindo sua missão aqui na Terra, fundou sua Igreja.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Mateus 16.13-18

13 E, chegando Jesus às partes de Cesaréia de Filipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do homem?

14 E eles disseram: Uns, João o Batista; outros, Elias; e outros, Jeremias, ou um dos profetas.

15 Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou?

16 E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.

17 E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus.

18 Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela;

ATOS 2.8-11

8 Como, pois, os ouvimos, cada um, na nossa própria língua em que somos nascidos?

9 Partos e medos, elamitas e os que habitam na Mesopotâmia, Judéia, Capadócia, Ponto e Ásia,

10 E Frígia e Panfília, Egito e partes da Líbia, junto a Cirene, e forasteiros romanos, tanto judeus como prosélitos,

11 Cretenses e árabes, todos nós temos ouvido em nossas próprias línguas falar das grandezas de Deus.

A AULA VAI COMEÇAR!

Olá professor, como vai? Nesta lição teremos a oportunidade de olhar para o passado, o presente e para o futuro da Igreja e observar que o Espírito Santo é quem a sustenta, seja qual for o tempo ou a circunstância.

A fim de explorar o potencial intelectual dos alunos, facilitando a assimilação do conteúdo da Lição de hoje, vamos promover um debate? Divida a sala em dois grupos, cada um deverá elaborar cinco perguntas sobre o conteúdo da lição para o grupo oposto. Estabeleça uma ordem e regras para o debate. Vence o grupo que mais acertar ou que melhor desenvolver as questões.

  1. CRISTO FUNDOU A IGREJA

Após a confissão de Pedro (Mt 16.16), de que Jesus é o Filho do Deus vivo, Cristo afirma que a Igreja seria edificada sobre Ele mesmo, a Rocha Eterna (Mt 16:18).

Jesus Cristo é a Rocha na qual sua Igreja está fundamentada: “Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina” (At 4.11).

Em uma construção a “pedra angular” ou “pedra de esqui na” é a que une duas paredes de um edifício (Is 28.16), e ainda pode referir-se a pedra principal de uma fundação (SI 118.22).

Por isso, em resposta a Pedro sobre a afirmação de que Ele era o Cristo, Jesus confirma, e com um jogo de palavras, ainda revela: “Pois também eu te digo que tu és Pedro (Petros, que significa “uma pequena pedra”), e sobre esta pedra (Petra, que significa rocha, “uma grande pedra de fundação”, isto é, Ele mesmo, o Cristo Filho do Deus Vivo) edificarei a minha igreja” (Mt 16,18). Portanto, Ele não estava falando que iria construir sua Igreja sobre Pedro (Petros), “a pequena pedra”, como afirma o catolicismo romano, alegando que o apóstolo foi o primeiro papa. Antes, Jesus declarou que Ele a edificaria sobre a pedra de fundação” (Petra); ou seja, sobre Ele mesmo.

Cristo é, de fato, a pedra fundamental da Igreja, o alicerce que a mantém firme e triunfante sobre o inferno ao longo de todos esses séculos (At 2.22-36; 1Co 3.9-11). É sobre a força e poder do Filho de Deus que os cristãos estão edificados.

A legítima Igreja pertence a Cristo, sobre quem o apóstolo Pedro afirmou: “Ele é a pedra que foi rejeitada por vós. os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina” (At 4.11). Pedro fala de uma construção se referindo a uma edificação não em sentido literal, mas da Igreja invisível (1Pe 2.6).

Segundo estudiosos, os construtores gregos antigos usavam uma pedra angular (fundamental), a primeira a ser assentada na esquina do edifício, formando um ângulo reto entre duas paredes para que a construção não ficasse torta ou fora de esquadro. Da mesma forma, a pedra (rocha), fundamento inabalável sobre o qual a Igreja está firmada, é a divindade e o senhorio de nosso Senhor Jesus Cristo. E ninguém mais pode lançar outro fundamento além deste já estabelecido, que é a Rocha inabalável. A Igreja há muito já teria sucumbido se não estivesse firmada nEle.

AÇÃO TÓPICO l

Pergunte se algum dos alunos sabe por que o catolicismo apregoa que o apóstolo Pedro foi o primeiro Papa. E por que esta informação está equivocada. Esclareça a questão, enfatizando a diferença entre as palavras petros e Petra, utilizadas por Jesus em Mateus 16.18. Diga que somente Cristo é, de fato, a pedra fundamental, o alicerce que mantém a igreja firme e triunfante sobre o inferno ao longo dos séculos.

  1. O NASCIMENTO DA IGREJA

A Igreja Cristã iniciou sua história no âmbito mundial no dia de Pentecostes, isto é, cinquenta dias após a ressurreição do Senhor Jesus Cristo.

 

O Espírito Santo exerceu um papel fundamental na fundação da Igreja, como o exerce até hoje em sua permanência. A ação do Espírito foi sublime na liderança da Igreja após a ascensão de Cristo. Antes de voltar ao Céu, no Monte das Oliveiras, Jesus instruiu seus discípulos enfaticamente que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, já predita por Ele (At 1.4,5). E estando cerca de 120 discípulos reunidos no Cenáculo, orando, línguas de fogo desceram sobre eles: “E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.” (At 2.4).

Era necessário que o Cristianismo fosse difundido para além da Palestina. E somente através da ação do Espírito Santo isto foi possível. No dia de Pentecostes o apóstolo Pedro pregou seu primeiro sermão, incitando a multidão a se arrepender, a crer em Jesus Cristo como seu Messias e a receber dEle o Espírito Santo. Naquele mesmo dia, cerca de três mil pessoas se converteram, marcando oficialmente o início da Igreja Cristã.

2.1. Uma Nova Aliança

O Espírito Santo que Jesus enviara chegou no Pentecostes, sinalizando a Nova Aliança de Deus com o seu povo. O propósito desta é resgatara humanidade do pecado e da morte, através de seu Filho (Jo 3.16; 12.32; Hb 12.24).

A vinda do Espírito aos corações e mentes dos cristãos naquele dia de Pentecostes foi o sinal de Deus de que Ele estava criando um novo povo em Cristo (G16.16), que incluía não apenas os judeus, mas igualmente os gentios.

AÇÃO TÓPICO 2

Discuta sobre a ação do Espírito Santo sobre a Igreja, de forma coletiva e individual. Mostre que o batismo com o Espírito Santo é fundamental na vida do cristão. Para melhor exemplificar isto, peça que os alunos destaquem o que aconteceu no dia de Pentecostes e os resultados posteriores a ele. Aproveite a oportunidade, para estimulá-los a buscar o batismo.

3- A PROMESSA DA VOLTA DO SENHOR

Jesus prometera que nos prepararia lugar junto a Ele e ao Pai (Jo 14.1-3) e que voltaria para buscara sua Igreja. Ele ensinou acerca dos sinais que evidenciariam a sua volta. Os cristãos da Igreja do Primeiro Século aguardavam com entusiasmo e fervor a volta do Salvador (Mt 24.1-8).

A esperança da volta de Jesus se constitui a base da fé cristã, pois se Cristo não voltasse para buscar a sua Igreja, a esperança nEle se resumiria apenas a esta vida terrena. E como disse o apóstolo Paulo: “Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens.” (1Co 15.19). Há infinitamente mais (Rm 8.18; 1Co 2.9; 2 Co 4.17; Ef 3,20) .

AÇÃO TÓPICO 3

Reflita com a turma sobre a volta de Cristo. Mostre que a Igreja nasceu debaixo da promessa da volta do Senhor. Com base na Bíblia, peca que os alunos citem fatos e acontecimentos atuais que apontam para a volta de Cristo.

CARO PROFESSOR, é fundamental mostrar à classe que a Igreja está fundamentada em Cristo, Rocha inabalável. Assim como cada um de nós, individualmente. Enfatize que a subsistência da igreja, durante séculos, se dá pela a ação do Espírito Santo, capacitando os crentes a testemunharem e resistirem às investidas satânicas. Portanto, incentive seus alunos a buscarem mais o Espírito Santo em suas vidas. Ore com eles por este compromisso.

 

  1. PARA CONCLUIR

A Igreja de Cristo almeja sua volta. Os cristãos, em diferentes momentos da história, sofrem adversidade e provações. Mas a Igreja segue triunfante, pois está alicerçada em Cristo – Rocha viva; e Ele mesmo garantiu: “As portas do inferno não prevalecerão contra ela”(Mt 16.18). A luta só cessará com a volta de Cristo. Assim, a Igreja deixará de ser militante para ser triunfante.

The following two tabs change content below.

Lidiane Santos

Correspondente pela sede desde 2013. Formada em serviço social e especialista em gestão pública municipal. Voluntária do Centro de Assistência Social da Assembleia de Deus em Rio Largo - Casadril.