EBD | Classe Jovem – Lição 11 – Moisés , um líder vitorioso

Lição 11 – MOISÉS, UM LÍDER VITORIOSO

TEXTO DO DIA “E nunca mais se levantou em Israel profeta algum como Moisés, a quem o SENHOR conhecera face a face.” (Dt 34.10)

SÍNTESE Os milagres na vida de Moisés eram eventos naturais para Deus. Mas para ele e seu povo eram sobrenaturais.

AGENDA DE LEITURA

SEGUNDA – Êx 20.1-26 Moisés, o estadista

TERÇA – Sl 77.20 Moisés, o líder que guiou o povo de Deus

QUARTA – Sl 90.1-17 Moisés, o poeta

QUINTA – Sl 105.26 Moisés, servo de Deus

SEXTA – Sl 106.23 Moisés, o intercessor

SÁBADO – Jo 1.17 Moisés, o legislador

OBJETIVOS

• MOSTRAR a difícil jornada de Moisés enquanto líder pelo deserto;

• CONSCIENTIZAR de que Moisés era um homem à frente do seu povo;

• REFLETIR a respeito da última batalha de Moisés.

INTERAÇÃO

Prezado(a) professor(a), as deficiências estruturais de algumas classes de Escola Dominical não devem ser empecilhos para que se ofereça aos alunos um ensino bíblico de qualidade. Ame seus alunos e eles sentirão que são especiais. Quem ama os alunos procura propiciar um ambiente que seja o mais aconchegante possível, apesar das limitações. Uma simples decoração pode fazer uma enorme diferença. Lembre-se de que em alguns lugares (países onde os cristãos são perseguidos), as dificuldades são ainda maiores, mas nem por isso a obra de Deus deixou de crescer e os alunos de serem edificados em Cristo. Não podemos nos esquecer de que a primeira reunião da Escola Dominical no Brasil aconteceu na cozinha do casal Kalley. Portanto, esteja certo de que Deus o ajudará a vencer quaisquer dificuldades. Não desista nunca e sempre dê o seu melhor.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Professor(a), você tem o hábito de realizar trabalhos em grupos com seus alunos? Essa ferramenta apresenta-se bastante útil, pois propicia dinamismo no encontro com os discentes, promove a unidade, evita que sejam ministradas aulas estritamente expositivas, proporcionando uma aprendizagem participativa, portanto, mais eficaz. Para tanto, é preciso que os grupos sejam formados aleatoriamente, buscando a interação entre os que têm menos afinidade. Assim, no início da aula, forme 3 ou 4 grupos heterogêneos, e dê-lhes tempo para que falem a respeito dos seguintes temas: (1)Moisés, o libertador; (2) Moisés, o legislador; (3) Moisés, o historiador; (4) Moisés, o amigo de Deus. Se você conseguir contatar os alunos, formando os grupos, ao longo da semana, será um incentivo a mais para que participem ativamente da aula.

TEXTO BÍBLICO

Números 27.12-17

12 Depois, disse o SENHOR a Moisés: Sobe este monte Abarim e vê a terra que tenho dado aos filhos de Israel.

13 E, havendo-a visto, então, serás recolhido ao teu povo, assim como foi recolhido teu irmão Arão; 14 porquanto rebeldes fostes no deserto de Zim, na contenda da congregação, ao meu mandado de me santificardes nas águas diante dos seus olhos. (Estas são as águas de Meribá de Cades, no deserto de Zim.)

15 Então, falou Moisés ao SENHOR, dizendo:

16 O SENHOR, Deus dos espíritos de toda carne, ponha um homem sobre esta congregação,

17 que saia diante deles, e que entre diante deles, e que os faça sair, e que os faça entrar; para que a congregação do SENHOR não seja como ovelhas que não têm pastor.

COMENTÁRIO

INTRODUÇÃO

A vida de Moisés é um milagre em todos os sentidos. Nascido sob condições extremamente desfavoráveis, sem ter sequer o direito de viver, foi escondido por três meses por seus pais. Para salvar sua vida, sua mãe colocou-o dentro de um cesto betumado no rio Nilo (um rio cheio de crocodilos). Mas, a filha de Faraó o encontrou nas águas do rio e o resgatou. Tirado das águas (daí provém seu nome), ele foi criado como filho da filha de Faraó. Quando adulto, não compreendeu o tempo de Deus para a sua vida e de seu povo e acabou agindo com precipitação e arrogância, tendo de fugir do Egito. A formação desse homem extraordinário, suas lutas, dilemas e conquistas, será o tema dessa lição.

I –A JORNADA DE MOISÉS

1. Um homem com um ideal. Há certas motivações que impulsionam as pessoas fortemente, fazendo-as conquistarem objetivos aparentemente inalcançáveis. Moisés, o libertador hebreu, guardava no coração e mente o desejo profundo de conduzir o seu povo até a Terra Prometida. Esse foi o seu ideal de vida.

Aos 40 anos, decidiu por conta própria, retirar o seu povo da escravidão egípcia. Mas não deu certo e ele teve de amargar um ostracismo que durou 40 anos. Até que Deus, então, lhe apareceu e o chamou. Moisés precisava libertar o povo e conduzi-lo a uma terra que manava leite e mel. A partir de então, ele batalhou, usando toda a sua energia — por 40 anos — para que seu objetivo fosse alcançado. E você? Desiste facilmente de seus projetos de vida?

2. Um homem que também cometeu erros. Depois de quase 40 anos sofrendo num deserto inóspito e conduzindo milhões de pessoas insubordinadas e de corações duros, Moisés cometeu um desatino. Deus o mandou falar à rocha, mas na sua ira ele a feriu por duas vezes (Nm 20.7-11). Certamente este foi o maior erro de sua vida. O salmista, séculos depois, afirmou no Salmo 106.33: “Porque irritaram o seu espírito, de modo que falou imprudentemente com seus lábios”.

Em determinadas ocasiões, os erros cometidos podem não trazer consequências tão graves, mas em noutros momentos, porém, os equívocos são inadmissíveis, inaceitáveis, principalmente no que tange às coisas que digam respeito à obra de Deus, o ministério.

3. Um homem que aceita parar. O sonho de adentrar na Terra Prometida termina para Moisés quando o Senhor lhe diz: “Pelo que verás a terra diante de ti, porém não entrarás nela, na terra que darei aos filhos de Israel” (Dt 32.52). Moisés ainda tentou argumentar com o Altíssimo, como fizera outras vezes, mas o Senhor foi taxativo: “Basta; não me fales mais neste negócio” (Dt 3.26).

Em momento algum vemos no texto bíblico, ainda que indiretamente, sinais demonstrando que Moisés tenha ficado com raiva de Deus. Absolutamente! Ele foi um servo submisso e fiel ao Senhor até o fim dos seus dias.

Como servo, ele tinha consciência de que chegaria o seu momento de parar. Conhecer o tempo de começar e de terminar é uma virtude que somente os mais nobres e espirituais possuem. Jesus compreendia perfeitamente o tempo do Pai: “[…] sabendo Jesus que já era chegada a sua hora de passar deste mundo para o Pai […]” (Jo 13.1). Como cristãos necessitamos conhecer o tempo de Deus em nossas vidas e ministério.

Pense!

Por que Deus foi tão rigoroso em punir Moisés por ferir a rocha?

Ponto Importante

Às vezes, nossos erros produzem consequências implacáveis em nossa vida pessoal, familiar e em nosso ministério, mas Deus não nos abandona. Ele deseja que nos arrependamos e deixemos o nosso erro.

II – MOISÉS, UM HOMEM À FRENTE DO SEU TEMPO

1. Um homem de sucesso. Mas o que é o sucesso para você? Será possuir riquezas, prestígio, fama? Certamente que não. Conta-se que, certa vez, uma atriz famosa disse a um repórter: “Se sou uma lenda como você diz, porque estou tão sozinha? Vou lhe dizer uma coisa: tudo bem ser uma lenda, desde que você tenha por perto, alguém que te ame”.

Uma pessoa de sucesso é aquela que, apesar de seus pequenos recursos, obtém êxito em realizações pessoais e coletivas. Sucesso, então, é algo relativo, mas que sempre envolve amor e a conquista de desafios. Nesse sentido, Moisés pode ser considerado um homem de sucesso, pois ele viveu perto de pessoas que o amavam: Arão, Miriã, Josué, Calebe, entre outros. Moisés deixou a sua marca na história do seu povo. Conquistou o que era impossível aos olhos humanos e foi um sucesso como legislador, poeta, libertador, profeta e estadista.

2. Uma referência para sua geração. Moisés também é um referencial na história do direito, pela entrega ao povo de um código legal muito avançado para sua época. Também é o maior profeta do Antigo Testamento. As suas realizações extraordinárias, seu caráter e sua fidelidade a Deus fazem dele o mais importante personagem do Antigo Testamento.

3. Um homem que cumpriu sua missão. Moisés cumpriu o projeto que Deus tinha para sua vida. Alcançou um patamar de excelência, tendo seu nome incluído na galeria dos heróis da fé (Hb 11.23-29). O deserto e as muitas adversidades não lhe impediram de cumprir com a missão que lhe foi outorgada pelo Senhor.

Pense!

Moisés cumpriu com a sua missão. O que você tem feito para que os propósitos de Deus se cumpram em sua vida?

Ponto Importante

Como Moisés, cumpra a missão que lhe foi confiada pelo Senhor, ainda que seja preciso atravessar o deserto.

III – A ÚLTIMA BATALHA DE MOISÉS

1. A última missão. Foi Deus quem falou com Moisés que a sua carreira e o seu tempo de vida nesta terra estavam chegando ao final (Nm 27.12,13). Moisés tinha maturidade emocional para ouvir o que o Senhor lhe havia revelado. Você teria essa mesma maturidade? Como reagiria? Moisés confiava no Deus a quem dedicou grande parte da sua vida.

2. Um erro fatal. A guerra contra os midianitas, a última de Moisés (Nm 31. 1,2), não era aparentemente perigosa, pois do exército de Israel foram enviados apenas doze mil homens, um número irrisório. O exército de Israel pelejou contra os midianitas e o Senhor ordenou que todos os homens fossem mortos. Mas Israel decidiu poupar as mulheres midianitas, ao que se indignou Moisés e disse: “Deixastes viver todas as mulheres? Eis que estas foram as que, por conselho de Balaão, deram ocasião aos filhos de Israel de prevaricar contra o SENHOR, no negócio de Peor, pelo que houve aquela praga entre a congregação do SENHOR” (Nm 31.15,16). A santidade e a obediência de Moisés não foram observadas e imitadas pelo povo. Eles não observaram o exemplo do seu líder.

3. A purificação. O Senhor então determinou o cumprimento integral da sua palavra e ordenou que ficassem alojados durante sete dias fora do arraial a fim de serem purificados (Nm 31. 19). Deus, mais uma vez, estava demonstrando ao seu povo a importância da obediência e da santidade. Ainda hoje, o Senhor requer de cada crente a adoção de um alto padrão de devoção e o comprometimento com Ele, porque está escrito: “Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver” (1 Pe 1.15).

Pense!

Deus ainda continua a exigir santidade do seu povo?

Ponto Importante

Moisés também cometeu erros, mas ele cumpriu todo o propósito que Deus tinha para sua vida.

SUBSÍDIO 1

“MOISÉS, hb. Tirado. Libertador, estadista, historiador, poeta e legislador hebreu — o maior vulto do Antigo Testamento. Deus o usou para formar, de uma raça de escravos egípcios e sob as maiores dificuldades, uma nação poderosa que completamente alterou o curso da humanidade. A história de Moisés ocupa os livros de Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio — a sétima parte da Bíblia. Ele merece a fama de ter sido um dos maiores homens de todas as épocas. Apesar de ser criado em um foco de idolatria e cercado em toda a vida de adoração a ídolos, ele não se contaminou e edificou a nação de Israel na Rocha Firme e a ensinou a cultuar ao único Deus, Jeová. Qual outro homem cujas obras foram acompanhadas de tantas e tão estupendas maravilhas? Falava ‘boca a boca’ com Deus (Nm 12.8). “E nunca mais se levantou em Israel profeta algum como Moisés, a quem o SENHOR conhecera face a face; nem semelhante em todos os sinais e maravilhas, que o SENHOR o enviou para fazer na terra do Egito, a Faraó, e a todos os seus servos, e a toda a sua terra; e em toda a mão forte e em todo o espanto grande que operou Moisés aos olhos de todo o Israel (Dt 34.10-12)” (BOYER, Orlando. Pequena Enciclopédia Bíblica. 36.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2016, pp. 364,365).

SUBSÍDIO 2

“Salmo 90. A condição de Israel no deserto é tão preeminentemente explicada em cada versículo. Moisés era poderoso em palavras, assim como em obras e nós cremos que este salmo é um de seus poderosos discursos. Ele canta sobre a fragilidade do homem e a pouca duração da vida, comparadas aqui com a eternidade de Deus. Moisés era um homem idoso e muito vivido, mas a idade e a experiência lhe tinham ensinado que, entre as mudanças perpétuas que estão acontecendo no universo, uma coisa, pelo menos, permanece imutável, a fidelidade Daquele que ‘de eternidade a eternidade’, é Deus. O Salmo 90 pode ser citado como, talvez, a mais sublime das composições humanas — a mais profunda em sentimentos — a mais eminente em concepção teológica — a mais magnífica em suas comparações. Depois de sua saída do Egito, o seu tempo foi absolutamente desperdiçado, e não era digno de ser o assunto de uma história, mas somente de uma ‘conto ligeiro’; pois somente foi para passar o tempo, como contando histórias, que eles passaram aqueles anos no deserto; todo esse tempo eles estavam se consumindo, e outra geração estava surgindo” (SPURGEON, Charles. Os Tesouros de Davi. 1.ed. Vol. 2. Rio de Janeiro: CPAD, 2017, pp. 682,690,691,701).

CONCLUSÃO

Moisés, servo fiel do Senhor, tornou-se um líder vitorioso no deserto, não obstante as suas lutas. Aprendemos com ele que, em nossa trajetória, nem tudo ocorre como planejamos, mas Deus nunca perde o controle da nossa história. Moisés concluiu sua trajetória de vida como um homem feliz, embora não tenha entrado na Terra Prometida.

HORA DA REVISÃO

1. Segundo a lição, qual era o ideal de vida de Moisés?

Entrar com o povo na Terra Prometida.

2. Moisés foi um sucesso em quais áreas?

Moisés foi um sucesso como legislador, poeta, libertador, profeta e estadista.

3. Qual a última missão de Moisés?

Derrotar completamente os midianitas.

4.Cite três características de um líder vitorioso.

O líder vitorioso reconhece a justiça de Deus, estimula a santidade e conduz o povo ao arrependimento.

5. O que você considera mais marcante na trajetória de Moisés?

Resposta pessoal.

1° Trimestre de 2019/Revista: Professor/Data da Aula:17/03/2019