Centenário AD Brasil

Assembleia de Deus: 100 anos de Pentecostes

O que a nossa história nos mostra. Estes 100 anos da AD nos levam a refletir sobre a origem de nossa denominação e de que forma nos portaremos até que o Senhor Jesus retorne.

Deus fala por meio de profetas

Cremos que o Espírito de Deus continua a falar por meio do ministério profético, e isso desde as nossas origens. Gunnar Vingren, um dos missionários que veio para o Brasil pregar a mensagem pentecostal, narra desta forma a descoberta, por meio de uma profecia, de que viria ao Brasil para evangelizar: “Em uma daquelas reuniões durante esse período de oração, notamos que um dos irmãos foi arrebatado em espírito de maneira especial, como um arrebatamento profético (…)  Outro irmão, Adolfo Uldin, recebeu do Espírito Santo palavras maravilhosas, e vários mistérios sobre o meu futuro lhe foram revelados. Entre outras coisas, o Espírito Santo falou através desse irmão que eu deveria ir ao Pará. Foi-nos revelado também que o povo para quem eu testificaria de Jesus era de um nível social muito simples. Eu deveria ensinar-lhes os primeiros rudimentos da doutrina do Senhor. Naquela ocasião, tivemos o privilégio de ouvir através do Espírito Santo a linguagem daquele povo, o idioma português. Ele também nos disse que comeríamos uma comida muito simples, mas Deus nos daria tudo o que fosse necessário”. (Diário do Pioneiro, Gunnar Vingren, CPAD, pág. 27).

Deus conduz o trabalho de expansão de sua obra

Após os trabalhos da obra pentecostal estabilizarem-se na capital do Pará, Deus dirigiu Daniel Berg para outras localidades, como Bragança e a Ilha de Marajó. A seguir, outras localidades como Xarapucu, Catipuru, Ilha Caviana e São Luiz. A obra foi prosseguindo pelo Amazonas e Rondônia, que ainda era, na época, um território. A seguir, os estados do maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba foram alcançados pelo trabalho pentecostal. Outros estados do Nordeste, como Alagoas, Sergipe e Bahia também testemunharam do poder de Deus.

A mensagem pentecostal chegou respectivamente ao Espírito Santo, ao Rio de Janeiro e ao antigo Estado da Guanabara, que na época era o Distrito Federal. Alcançou também Minas Gerais e São Paulo, atingindo posteriormente os estados do Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso, Rio Grande do Sul e Goiás. Essas informações, trazidas na época por Emílio Conde, certamente carecem de atualização quando contemplamos o Brasil de hoje, mas no momento em que ele relatou o princípio de nossa história, o fez levando em conta que nem todo o Brasil, à época, havia sido alcançado.

*Subsídio extraído da revista Ensinador Cristão, Número 46, Ano 12, abril-maio-junho / 2011, CPAD, página 41